A diferença entre Palhaço e Clown

De um lado Israelitas, do outro, Palestinos, guerreiam por muito tempo, cada um defendendo a verdade em que acredita, alguns guerreiam somente por ter herdado esse título ao nascer, e assim segue-se uma guerra tão desnecessária quanto todas as outras.

Nessa minha primeira postagem tentarei explicar as diferenças entre Palhaços e Clowns, estudo as técnicas e as teorias clown desde 2003 e após ter lido alguns livros, assistindo vários filmes e consultado alguns profissionais, acredito que tenho uma opinião bem esclarecida sobre o tema.

Alguns leitores já podem estar pensando: “Puxa, lá vem mais um que gosta de usar a palavra Clown, mania de ficar usando palavras difíceis e em inglês”; Desculpe quebrar esse seu pensamento, mas Clown não é uma palavra de origem inglesa... Atualmente traduz-se como palhaço, mas essa palavra tem uma origem muito antiga e qualquer pesquisa no Google vai te mostrar que Clown é originado na palavra “Clod” que significa rústico, também pode ser usado para nomear o simples camponês que trabalha a terra.

Enquanto Palhaço é originado na palavra “Paglia” (palha), que era usada para revestir os colchões, no inicio, a roupa do palhaço era feita do mesmo tecido grosso e listrado dos colchões.

Comparando a origem das palavras, chegamos à conclusão que palhaço e clown são tão parecidos quanto à farinha e a farofa! Podem ter o mesmo ingrediente, mas são totalmente diferentes. Ambos são vistos como um indivíduo desajeitado e engraçado.

Não vou analisar a fundo as diferenças da maquiagem e da roupa entre clown e palhaço, mas é importante dizer que os palhaços geralmente são mais coloridos, com mais detalhes e mais chamativos, poderia até dizer que o palhaço carrega consigo a obrigação de fazer rir e de usar a menor mascara do mundo: o nariz vermelho! O palhaço e o Clown são ridículos por natureza, qualquer um que olhar vai dar um descrédito imediato á essas figuras, dando uma importância mínima, esperando que sirvam unicamente para causar um sorriso imediato, e pelo contrário, em séculos passados sábios usavam dessa liberdade para criticar aos reis e mandantes tiranos, sem sofrer nenhuma conseqüência (volto á esse assunto nas próximas postagens).

Aqui chegamos á um ponto importante, até o presente momento tem-se uma diferença mínima, porém, a palavra “Ridículo”, nos traz de volta ao tema.

O palhaço é um ser ridículo, o ser que ninguém quer ser, muitos o apreciam com a finalidade de rir somente, e para isso ele está ali! Pouquíssimos olham com admiração e dizem “Também quero ser palhaço”, e os que fazem isso estudam técnicas milenares dos palhaços, como cair, dar cambalhotas, chutes na bunda, e muitas outras “Gags” que são piadas visuais utilizadas por palhaços e cômicos durante séculos. Sem medo de errar, digo que os palhaços são personagens importantes que alguns atores ou simpatizantes assumem para alegrar esse mundo caótico e por muitas vezes, chato, onde um quer ser melhor que o outro, mostrando-se poderoso, imponente e bem vestido. O palhaço deixa de existir quando o ator o descaracteriza, tirando a roupa e a mascara.

O Trabalho do Clown difere-se já na construção, o ator ou simpatizante é submetido á uma preparação de auto-aceitação, onde deve brigar contra seu ego, contra a necessidade de aprovação que a sua educação lhe impôs e o mais difícil, deverá ver-se!
Sim, até parece fácil sob uma olhada ligeira,
mas quem realmente vive ou diz o que sente? Extrair isso de si é dolorido e gratificante, pois, a desmontagem nos dá a possibilidade de remontar as peças de uma maneira que sejamos mais felizes com o nosso “eu interior”, o clown vive o seu ridículo, aceita os seus defeitos e mostra-os sem medo de ser excluído por ser diferente; a diferença que mais pesa entre o palhaço e o clown está aqui, esse trabalho de clown não acaba quando ele retira sua mascara vermelha e sua maquiagem, ela prevalece em sua vida o tornado mais feliz
Um exemplo bem comum é aquela pessoa que não se importa com os apelidos que lhe são dados pelas deformidades que tem, e os mesmos acabam “não pegando”.

E você? É palhaço ou Clown? Não sabe? Vai estudar, busque um professor (a) que possa lhe instruir de maneira correta (cuidado com os picaretas, que vendem o curso de clown e dão aulas de palhaço). Ah, mas você quer ser palhaço? Sem problemas, procure uma escola de palhaços, o mundo é carente de sorriso e nós que temos a essência da comicidade devemos lapidar o dom que nos foi dado e usa-lo em prol de um mundo mais feliz.

Agora se você simplesmente não concordou com nada que escrevi acima, acha que se deve usar somente o nome palhaço pra tudo e pra todos, fica o meu pedido pra que não faça guerra, não brigue por sua opinião, não faça da sua opinião um imposição, e lembre-se que esse colunista é ridículo, sendo assim um humano comum que erra!
Ao invés de brigar, junte e use sua energia pra fazer alguém rir!


16 comentários:

  1. Dudu de Castro disse...

    Como é bom receber um pouco de instrução quando se trata de duas áreas tão confundidas!
    Palhaços e Palhaços (clowns) são diferentes, o nome que a criança ou o adulto chama é Palhaço nos dois casos, não se espera ver uma criança chamando de Clown o senhor que fez com q ela risse... Mas se espera que haja uma diferenciação teórica e prática entre as duas áreas!
    Quer Clown quer Palhaço a formação é necessária e esperada! Creio que este texto trouxe um esclarecimento (ou pelo menos levantou uma poeira) de maneira belíssima!
    Parabéns Bizorão!

  2. André Bizorão - Clown Quixote disse...

    Concordo em genêro, número e mingrau!!! Eu estudei teorias e técnicas de clown, mas não me importo de ser chamado de palhaço, e essa é a guerra que eu evito, a guerra de nomes, pra quê né? O importante é cada um saber o que realmente sente! E ser feliz é a lei!
    Viva os Palhaços e viva os Clowns!!!

  3. Ana disse...

    Bom artigo,de todos de que já li sobre o mesmo assunto talvez o mais esclarecedor..Porém,ainda que eu concorde com tudo o que foi disso,ao analisar o cenário do nariz vermelho brasileiro é meio complexo você julgar quem é clown quem é palhaço...muitas e muitas e mais muitas pessoas que realizam algum trabalho de Clown usam estruturas de palhaço,elas deixam de ser clown por isso?Acredito que ao invés das pessoas Fazerem´guerra`sobre rótulos deviam experimentar o nariz vermelho...
    Eu brinco de descobrir quem sou,de usar nariz vermelho.Porque brincando que eu meio que descobri,seria presunção dizer que a verdade,mas o caminho para ela...
    Ana Reis,usuária de nariz vermelho Spuleta!=o)

  4. Anônimo disse...

    Bem bacana o texto, em modo geral, não é cansativo repetitivo nem outros ivos. Mas como um iniciante na arte fiquei confuso: como diferenciar um curso clown para clowns do tal curso picareta? (ÔÔ)
    Maurício Caetano

  5. Ator Vinícius Veloso disse...

    Eu como um estudioso do assunto concordo com as palavras aqui ditas,eu me considero mais um clown do que um palhaço,é importante dizer também que muito da linguagem se mistura mais no geral tem diferenças sim, que para nós que estudamos do assunto percebemos simplismente ao olhar.

    Parabêns pelo texto que esclarece aos leigos da linguagem difissílima que é ser um Clow ( palhaço)

    Vinicyus Veloso - ator e clown
    Dr.Fulano
    Rio de Janeiro

  6. Fernanda Dantas disse...

    Adorei as explicações e as diferenciações entre Clown e palhaço. Sou adimiradora do trabalho artistico dos dois gêneros.

    Quero saber onde encontro livros sobre técnicas de clown e a história ou o nome de alguns autores.

    Parabéns pelo texto!

  7. Anônimo disse...

    Porque todas a pessoas concordão! O que vejo aqui é que não existe opinião diversificada e sim um senso comum, que sempre começa a mesma discussão quando se vê um palhaço bom.Não vejo necessidade de ficar rotulando ou associando teatro mudo ou chaplin com clown ou palhaço ... palhaço!? clown ... não não ... clownlhaço! Pronto asssim todos ficam felizes. Não importa, cada um faz sua arte sendo boa ou ruim, o que importa é fazer.

  8. avelar disse...

    Muito bem, eu como ator, diretor teatral e professor posso te dizer que sua colocação foi feliz ao analisar os termos só achei desnecessário o fato do autor está muito "armado" numa defensiva, demonstrando uma certa insegurança. Relaxa e manda o verbo! se cair, levanda e saia rindo e se "mangarem" do seu tombo tenha consciencia da ótima performance clownesca em sua espontaneidade! Não ligue para as chacotas! Vamos rir.

  9. Turminha disse...

    "Clown não é uma palavra de origem inglesa".... na verdade... é sim, já que "CLOD" é uma palavra inglesa. :P

  10. Anônimo disse...

    Pois eh, acho que a questão de tradução ainda tem que ser repensada.
    Trata-se, na minha opinião, de duas tradições distintas de comédia, uma mais famosa nas Américas que vêem do termo em italiano "palhiacci" e outra que vêem de uma palavra...inglesa?... clod que acho que é mais popular na europa.
    Ao ser feita a tradução do ingles para o portugues a palavra clown foi traduzida como palhaço, o que se deve ao fato de nos paises de lingua inglesa, a diferença entre "clod" e "pagliacci" ja ter se perdido. O "CLOWN" que aparece na cultura norte americana por exemplo é sempre muito mais proximo do pagliacci do que do clod e ainda assim o "clown" assassino de alguns filmes de terror é um completo absurdo...
    é algo a se pensar

  11. Anônimo disse...

    Bem, não estou conseguindo ler o texto, o mesmo está cortado/incompleto para mim. Já atualizei a página algumas vezes em dois navegadores diferentes (chrome e firefox), porém o problema ainda persiste. Se por acaso for algum bug do blog fica aqui o registro, caso for algo apenas pontual desconsiderem.

    Abs.

  12. Juliana disse...

    Não estou conseguindo ler o texto todo!

  13. Anônimo disse...

    Pois é, só consegui ler o texto salvando no Pocket e lendo através dele. A interface do blogspot deve estar com algum problema...

  14. Anônimo disse...

    Tenho um plugin baixado aqui no chrome que me permitiu ler o texto. Se chama Evernote Clearly, acho que vale baixar é bom pra leitura na tela do computador.

  15. João Francisco da Rosa Labriola disse...

    Pois eh Bizorao...a ideia de diferenciar não eh fazer guerra, eh simplesmente respeitar. O problema todo não esta nos clowns exigirem ser chamados assim, mas sim nos palhaços assumirem a postura de "eh tudo a mesma coisa". Para mim isso eh uma postura de relativismo cultural, e não trás nada de bom. Eh como dizer que samba eh a mesma coisa que axe, blues eh a mesma coisa que rock, rastafari eh a mesma coisa que black-power, budismo eh a mesma coisa que hare-krishna e por ai vai...ninguem quer guerra, soh ser respeitado. Não acho que sejam dois lados da mesma moeda e nem inimigos mortais como israelenses e palestinos, acho que são irmaos distantes, unidos pelo nariz vermelho, mas separados por todo o resto, cada um com sua metodologia de ensino e trabalho e mitologias pessoais COMPLETAMENTE distintas.

  16. Anônimo disse...

    não consigo ler o texto...

Postar um comentário